10 erros financeiros das pequenas empresas

1) Não saber o saldo do caixa
Não existe um controle das entradas e saídas de dinheiro do caixa.

2) Não saber o valor dos estoques
Os produtos estocados não são contabilizados e sua depreciação é desconsiderada na formação dos preços de venda e nos resultados financeiros da empresa.

3) Não saber o valor das contas a pagar e das contas a receber
Ausência de planejamento para o recebimento e pagamento de contas futuras.

4) Não saber o valor das despesas fixas
O valor das despesas rotineiras, mínimas e necessárias, que permitem que o negócio funcione sem problemas, é desconhecido.

5) Não saber se a empresa está tendo lucro
O empreendedor está tão envolvido com a rotina operacional do seu negócio que esquece de verificar se o trabalho está dando retorno.

6) Não calcular o custo e o preço de venda dos produtos e serviços
O preço de venda de um produto/serviço deve ser, no mínimo, igual ao custo de produzí-lo/prestá-lo.

7) Não saber o valor patrimonial da empresa
A aquisição de equipamentos, materiais, estoques não são contabilizados no patrimônio da empresa.

8) Não saber o valor e a origem dos recebimentos
Qual é o produto que vende mais? Quais são os serviços mais prestados? Quais são os principais clientes?

9) Não saber o valor e o destino dos pagamentos
Quais são as principais despesas? Quais são os maiores custos dos produtos/serviços? Quais são os fornecedores mais importantes e quanto está sendo pago para eles?

10) Não determinar um valor fixo de pró-labore para os sócios
É fundamental que se determine um pró-labore (salário do sócio que trabalha na empresa) para considerá-lo nos custos da empresa e no seu planejamento financeiro.

11) Não administrar corretamente o capital de giro
Ter dinheiro disponível em caixa para honrar os compromisso imediatos da empresa é fundamental para manter o negócio saudável e uma boa imagem no mercado perante fornecedores e clientes.

12) Não fazer um fundo de reserva para demissões de funcionários
Todas empresas que possuem funcionários, pode também ter que demiti-los. É importante manter um fundo de reserva para pagar todos os direitos trabalhistas numa situação dessas.

13) Não fazer um fundo de reserva para pagamento do 13º salário e férias dos funcionários
O pagamento de férias e 13º salário deve ser provisionado e uma reserva mensal proporcional deve ser feita para que quando essas despesas aparecerem elas possam ser devidamente honradas.

14) Ter um gasto com folha de pagamento superior a 30% do faturamento
Algumas empresas acabam contratando mais funcionários do que podem. Ter um gasto com a folha de pagamento de até 30% significa que você será capaz de fazer um fundo de reserva para demissões, fazer um fundo de reserva para pagamento de férias e 13º salários e utilizar o restante do faturamento para reinvestir no seu negócio.

The following two tabs change content below.
Cristiano Nascimento é formado em Processos Gerenciais, Especialista em Gestão Empresarial e Marketing Digital. Sócio da Casa Cheff Alimentos, Empreendedor Digital, Editor no FotosFacebook e fundador do CSNDicas.

Latest posts by Cristiano Nascimento (see all)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *